quarta-feira, novembro 14

Polícia Federal e CGU deflagra operação em Alagoinhas para combater fraude em licitações e desvios de verba no transporte escolar entre os anos de 2009 à 2016.

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (21), uma operação contra um esquema criminoso de fraude a licitações no serviço de transporte escolar nas cidades de Alagoinhas. A ação visa recolher documentos sobre transporte escolar dos anos de 2009 á 2015, e ouvir algumas pessoas sendo elas o ex prefeito e candidato a deputado estadual Paulo Cezar Simões, o ex Secretário de governo João Rabelo, Ex Secretário de Educação Caio Castro e sua esposa, Ex funcionário de licitações Lucio Bastos, Ex pregoeiro Cleiton.

São cumpridos mandados de busca e apreensão em órgãos públicos da prefeitura secretaria de educação, Centro Administrativo e prefeitura, empresas e nas residências dos envolvidos no esquema. Há também um mandado de prisão preventiva contra o empresário conhecido como Alex da Movelaço, tinha uma empresa contratada para o transporte escolar do município.

Cerca de 90 policiais federais e 21 auditores CGU e peritos participam da operação, que conta com o apoio da Controladoria Geral da União (CGU).

Além da fraude a licitações, a operação da PF combate também o superfaturamento, desvio de recursos públicos, corrupção ativa e passiva e lavagem de ativos envolvendo os contratos do serviço de transporte escolar de Alagoinhas e mais cinco cidades do interior do estado.

Durante a operação, uma quantia em dinheiro em torno de 700 mil reais foi apreendida, mas ainda não há detalhes do valor exato e nem onde foi feita essa apreensão.

O secretário de comunicação da prefeitura de Alagoinhas informou que estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão na prefeitura da cidade, na Secretaria de Educação e no Centro Administrativo Municipal e que nada tem haver com a gestão atual que foi espalhadas nas redes sociais, que o prefeito só foi ajudar na investigação, sendo ele o gestor atual, tendo obrigação de a apresentar os documento da gestão passada para averiguação dos fatos, documentos esses do período de 2009 à 2016.

O prefeito Joaquim Neto afirmou que: “Como gestor vim acompanhar a polícia federal para passar os documento dos anos de 2009 à 2015 pedidos na busca apreensão, e que o governo dele está tranquilo, pois preza pela transparência, tanto que as licitações do atual governo estão sendo feitas pregão eletrônico, e que todos gastos se encontram no portal da transparência, eu só vim auxiliar na entrega dos documento” Finalizou.

Por Marcio Ramos Jornalista DRT 5202/BA

Conselheiro ABI- Associação Brasileira de Imprensa.

Delegado Regional Alagoinhas/BA ANI- Assoc.Nacional e Internacional Imprensa.

Membro da Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa, Expressão e Direitos Humanos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *