terça-feira, março 26

Esplanada: Corpo de bombeiros anuncia fechamento das portas após despejo de residência paga pela prefeitura

O corpo de bombeiros civis de Esplanada anunciou nesta última sexta-feira (28) que a corporação está fechando suas portas no município. Segundo o comandante Marcelo Adriano, contrato não recebidos, falta de apoio do município e perseguição política seriam os principais motivos para deixar de prestar serviços na cidade. Em nota divulgada em um grupo de WhatsApp o comandante diz o seguinte:

“Gostaria de aproveitar também e comunicar o fechamento das portas do Corpo de Bombeiro Civil, por perseguição politica. Por termos colocado na justiça para receber os pagamentos atrasados do convênio do mês de Janeiro ao mês de maio, recebemos ordem de despejo da prefeitura, onde a mesma encerrou o contrato de locação da residência onde que já encontrava-se a anos locada pela prefeitura e a atual gestão não tem escrúpulos para fazer o que tem que ser feito para atingir a todos que vão de encontro à eles. Infelizmente quem perde é a população e informamos aqui por ser um grupo que mais temos comunicação, que o corpo de bombeiro civil de Esplanada já não está atuando mais para ocorrências públicas. O trabalho do corpo de bombeiro civil hoje será apenas para as quase 30 lojas que nos ajudam com a mensalidade e que existe um contrato ao qual não iremos quebrar.” Finalizou o bombeiro.

Além de paralisar atividades públicas, a corporação também acabou cancelando o “Projeto Bombeiro Mirim” que vinha atendendo mais 20 crianças cadastradas desde Julho deste ano. “O projeto bombeiro civil mirim tbm foi cancelado devido a falta da estrutura para manter a corporação, pois como acabo de informar a casa onde funcionava a base dos bombeiros foi tomada pela prefeitura afim de nos prejudicar mais uma vez.”

O corpo de bombeiros civis atuava em ocorrências no município de Esplanada e região desde 2013 e de lá para cá auxiliou em resgates de pessoas e animais, salvamentos, incêndios, cobertura de festas entre outras atividades. A corporação também participou da reestruturação da Guarda civil municipal durante a gestão passada quando coordenou equipes em treinamentos básicos realizados em estabelecimentos públicos do município. 

Na gestão do atual prefeito Francisco da Cruz, chegou a alinhar um convênio para prestação de serviços, onde ficava responsável por monitorar os trabalhos dos salva-vidas na região do Baixio e consequentemente realizar o pagamento dos vencimentos dos profissionais da área.

Segundo a corporação o não cumprimento deste convênio pela prefeitura no que diz respeito ao repasse de valores acordados, e consequentemente acionamento na justiça feito pela corporação, acarretou na suspensão do mesmo que ocorreu durante este ano. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *