segunda-feira, maio 20

Descarte incorreto do lixo afeta rede de esgoto e causa danos à população e ao meio ambiente

A Coordenação de Redes e Ramais de Esgoto (CRRE) do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) é responsável pelas manutenções preventivas e corretivas das redes e pela manutenção das estações de tratamento de esgoto.

Somente no primeiro trimestre de 2019, a CRRE realizou 201 reparos de vazamentos de esgoto na rua, 116 desobstruções de redes coletoras e condominiais e 82 reparos em caixas e anéis.

ESGOTO DOMÉSTICO

O QUE É?

Depois de usada para as tarefas essenciais do dia a dia, a água que era limpa passa a ter resíduos das atividades humanas (banho, descargas, roupa e louça), passando a ser chamada de esgoto, o que impedem seu uso seguro. Daí vem a importância do tratamento adequado desse esgoto, feito com base em padrões estabelecidos por lei.

COMO É FEITO O TRATAMENTO?

O esgoto da residência é coletado pela caixa de passagem, localizada na calçada. Em seguida, vai para a rede condominial, que também fica na calçada, e é conduzido até a rede coletora no meio da rua. Depois, segue por uma tubulação (o interceptor) até uma estação de bombeamento ou direto para a estação. Na ETE, é tratado por processo biológico (sem uso de produto químico) para só então ser devolvido ao meio ambiente.

IMPORTÂNCIA DA COLETA E DO TRATAMENTO DE ESGOTO

A coleta e o tratamento do esgoto evitam:

  • Contato direto do usuário com o esgoto;
  • Doenças de veiculação hídrica (esquistossomose, cólera, hepatite, meningite);
  • Ruas insalubres;
  • Contaminação dos recursos naturais (rios, lagos, represas);
  • Contaminação do solo;

O PAPEL DO USUÁRIO

O modo errado de descartar o lixo é o principal vilão quando se fala em problema na rede de esgoto. Durante as manutenções, a CRRE já encontrou os mais variados itens na rede:

  • Tênis;
  • Calcinha;
  • Camisa;
  • Pasta de dente;
  • Saco plástico;
  • Escova de dente;
  • Garrafa PET;
  • Garrafa de vidro;
  • Sandália;

Para que a rede funcione corretamente, cada pessoa precisa fazer sua parte cotidianamente. É simples e prático. Afinal, esgotamento é sinônimo de saúde pública.

  • Não jogar papel higiênico, fralda, cotonete, fios de cabelo, bituca de cigarro, absorvente e fios de cabelo no vaso sanitário;
  • Não jogar restos de comida, cascas de frutas e vegetais, pó de café, óleo, palito de fósforo, caroços na pia da cozinha;
  • Não deixar a caixa de passagem destampada;
  • Não permitir a ligação de rede de esgoto na rede de drenagem;
  • Não ligar água de chuva em rede de esgoto;
  • Não jogar areia nos ralos ao varrer;

O QUE AS MEDIDAS IMPEDEM

  • Entupimento das tubulações internas;
  • Vazamento nas ruas;
  • Retorno do esgoto para as casas;
  • Risco à saúde das pessoas;
  • Dano ao meio ambiente;
  • Danificação de equipamentos;

VOCÊ SABIA?

  • Cerca de 100 milhões de brasileiros não têm acesso a serviço de coleta de esgoto;
  • Nas 100 maiores cidades do país, mais de 3,5 milhões de brasileiros descartam o esgoto de modo irregular, mesmo tendo acesso a redes coletoras. (Fonte: Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS 2017) Fonte: Estudo Trata Brasil “Ociosidade das Redes de Esgoto – 2015” Fonte: UNICEF – Pobreza na Infância 2018)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *