sexta-feira, dezembro 13

Óleo nas praias faz reservas para o verão caírem 30% em Morro de São Paulo

A chegada do petróleo cru no litoral de Morro de São Paulo, em Cairu, Baixo-Sul do estado, fez com que o número de reservas para o verão caísse em 30%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

A informação é da Associação Comercial e Empresarial de Cairu. Segundo a associação, a crise política e econômica pela qual passam Argentina e Chile também contribui para a queda nas reservas para o verão.

Segundo a Prefeitura de Cairu, o município conta com 9.418 leitos em 217 hospedarias, espalhadas pelas localidades de Morro de São Paulo, Boipeba, Moreré, Gamboa, Centro, Garapuá e São Sebastião.

Para o empresário, a situação pode ser revertida até o final do ano, caso não chegue mais petróleo cru no litoral baiano. No entanto, nesta quarta-feira (13), a Prefeitura de Cairu confirmou que a praia de Garapuá apresentou novo registro de óleo. Segundo o órgão, a limpeza dos resíduos foi imediata e o monitoramento continua em todas as praias do arquipélago.

“Na última vez que chegou nem deu tempo de os turistas verem nada porque o pessoal age rápido, entre 5h e 6h já estão atuando e fazendo as coletas, quando o turista desse já encontra a praia limpa”, disse o empresário William Wazlawik, 41.

Dono de uma agência de viagens locais e uma loja de roupas na primeira praia de Morro de São Paulo, Wazlawik disse que empresários colaboram com os voluntários, dando quentinhas para os mesmos. Em cada praia tem um ‘QG de voluntários’.

“Há uma união muito grande para que essa questão do óleo não nos afete, pois aqui todo mundo vive do turismo, então estamos unindo nossas forças. Nos dias que teve óleo com mais intensidade tinha mais de 150 voluntários”, declarou.

Mudança de hábito
O que tem mudado nas praias de Morro de São Paulo são os hábitos de consumo dos turistas. Os pedidos de lambreta e ostra, por exemplo, caíram a quase zero. E quase ninguém tem para vender nas barracas.

Isso ocorre porque a lambreta e as ostras estão entre os animais responsáveis pelo papel de filtro dos mangues e, por isso, têm mais possibilidade de acumularem petróleo cru em caso de haver contaminação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *