quarta-feira, abril 1

Caminhoneiros relatam falta de informações nas rodovias sobre prevenção contra coronavírus

Caminhoneiros que passaram nesta segunda-feira (16) por Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, reclamaram da falta de informações sobre a prevenção do coronavírus nas rodovias. A cidade é o maior entroncamento rodoviário do Norte-Nordeste e tem maior registro de casos da Covid-19 na Bahia.

“A gente esperava mais instrução, tanto nossa [caminhoneiros], quanto do pessoal que está em viagem, está em percurso, carro pequeno. Porque estamos todos correndo o risco de estar pegando esse vírus aí. No meu veículo eu carrego álcool em gel e prefiro evitar tumulto, evitar aglomeração, mas não tem uma instrução”, disse o caminhoneiro Guilherme Maia.

Feira de Santana é cortada por seis rodovias – três federais e três estaduais. Guilherme pontuou ainda que a instrução em pontos de grande circulação das vias ajuda a evitar a contaminação pelo vírus.

“Acho que deveria ter mais instrução, para todo mundo evitar proliferar o vírus. A maioria dos lugares não tem esse apoio. Eu acho interessante o pessoal fazer isso [orientação], principalmente na blitz educativa, como fazem em todas as campanhas, para instruir todos que estão na rodovia, não só motoristas profissionais, mas aqueles que também estão em viagem”, disse ele.

O caminhoneiro Charles Soares também reclamou da falta de campanhas de incentivo à prevenção contra o vírus da Covid-19. Ele, que é de Minas Gerais, está preocupado porque circula por todo o país.

“Por onde eu tenho passado, não está tendo nenhuma divulgação, nenhuma campanha em relação ao coronavírus, não está tendo nenhum incentivo [de prevenção] para a classe dos caminhoneiros. Nos pontos de apoio, ninguém está falando nada sobre isso. A gente roda o Brasil de norte a sul. Eu mesmo fico 30 dias viajando, sem passar em casa e todo dia estou em um lugar diferente. Por onde eu tenho passado, não tenho ouvido falar nada sobre o coronavírus. Só alguns lugares tem um álcool gel”, ponderou.

Notificações

A Bahia registrou 289 casos suspeitos de Covid-19 (coronavírus), de janeiro até as 17h de sexta-feira (13), quando o último boletim da Sesab foi divulgado. Um novo boletim deve ser divulgado nesta segunda (16).

Desse total, 153 foram descartados e 129 aguardam análise laboratorial. Ao todo, 26 municípios da Bahia fizeram notificações oficiais. O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave.

A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *