domingo, setembro 20
Shadow

Observatório

Oficinas do NATA no município de Alagoinhas continuam em julho

Oficinas do NATA no município de Alagoinhas continuam em julho

Bahia, Observatório
As oficinas do Núcleo Afro Brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA, que fazem parte do projeto OROAFROBUMERANGUE, continuam em julho. Serão realizadas três oficinas direcionadas a artistas e interessados do município de Alagoinhas e região -  elaboração de projetos culturais, iluminação cênica e percussão para mulheres. As inscrições para as oficinas podem ser realizadas pelo site do grupo (www.natateatro.com.br/oroafrobumerangue) e presencialmente, no Centro de Cultura de Alagoinhas, onde são ministradas as aulas (confira programação abaixo). As oficinas marcam o início de uma temporada de três meses do grupo no cenário cultural alagoinhense, que abrange ainda a realização de um Sarau Afro Poético, do IPADÊ – Fórum NATA de Africanidade e apresentações do projeto Natas em Solos, no mês
Recuperação da represa de Aramari, um sonho sendo conquistado | Por Sergio Lima 

Recuperação da represa de Aramari, um sonho sendo conquistado | Por Sergio Lima 

Cidades, Destaque, Observatório
Por Sergio Lima Depois de ser útil há anos atrás, para a geração de energia para a manutenção de umas das maiores Oficina da América Latina a Ferrovia Centro-Atlântica S.A (FCA S.A.), hoje pertencente a VLI (Valor da Logística Integrada). E consequentemente, depois de muitos anos de abandono e maus tratos, das gestões municipais, enfim, o rio que corta a cidade de Aramari, popularmente conhecida como a (Represa), será novamente recuperada. Após anos de lutas, e questionamentos e solicitações da população de Aramari, representantes das organizações da iniciativa privada e sem fins lucrativos, tais como órgãos de proteção ambiental, repartições sindicais do meio ambiente, associação locais e conselhos de proteção ambiental, através de Audiências Públicas realizadas a fim de buscar recursos f
O Resgate da Cultura em Aramari

O Resgate da Cultura em Aramari

Aramari, Cidades, Observatório
Com Sérgio Lima. Numa demonstração única de que a realidade de Aramari pode ser mudada, transformada, tornando de fato uma cidade melhor e inclusiva para todos. Isso, está sem dúvida bem claro. Emplacando as comemorações dos festejos junino, em Aramari foi realizado de forma jamais vista na história do município a Alvorada Junina. Promovida pelo Movimento Fidelize, com muita alegria, descontração e paz, mesmo depois de anos de maus tratos cultural para com a população aramariense os festejos junino com toda a sua originalidade foi resgatado na cidade. Estando estampado o calor humano, a humildade, sem falar na união de um povo, que com muita paz e amor que já tens consigo no coração espalhou alegrias por todos os cantos da cidade. Porta a porta, a Alvorada Junina do Movimento Fidelize,

O desastre político e o respeito à Constituição

Observatório
Por Gustavo Badaró Os últimos acontecimentos políticos experimentados no Brasil têm causado um furor como poucas vezes se viu na história da nação. O vazamento à imprensa de trechos da delação premiada realizada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, do grupo JBS - investigados em desdobramentos da Operação Lava Jato, com a Procuradoria Geral da República, e divulgadas na quarta-feira (17), lançam o atual governo na sua maior crise. Os desdobramentos do caso colocam o presidente Michel Temer como alvo de graves acusações, uma vez que haveria o seu explicito aval a uma suposta operação de compra de silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e de Lúcio Funaro, que seria seu operador financeiro. Situações criminais que envolvem altos mandatár
Foro privilegiado para quem não sabe | Belmiro Deusdete

Foro privilegiado para quem não sabe | Belmiro Deusdete

Observatório, Política
Belmiro Deusdete Se todos são iguais perante a lei como preconiza a nossa Constituição, fica claro que não deveria existir o “foro privilegiado”, até porque é inadmissível o privilégio nas questões legais. Todavia, admitindo-se o “foro privilegiado”, deveria haver uma inversão natural: seria facultado a quem não tem instrução e formação, a quem não sabe distinguir entre um crime e algumas “defesas” naturais da sociedade. Uma mãe acorrentar um filho em casa evitando que ele vá para o mundo das drogas é um crime, de cárcere privado, enquanto ela pensa que faz um bem em defesa da sua família. Existem milhares de outras situações delituosas, à luz da Lei, praticadas no dia a dia por pessoas leigas e incautas que pensam que estão fazendo o certo. Por outro lado, quem tem instrução e formação
Já não se faz mais políticos como antigamente | Belmiro Deusdete

Já não se faz mais políticos como antigamente | Belmiro Deusdete

Observatório
BELMIRO DEUSDETE Dizem que quem vive de passado é museu. Não é bem assim. É importante que se analise e preserve o passado para alterar os rumos do presente, dentro do que for necessário. Aqui em Alagoinhas, lembro perfeitamente do prefeito José Azi (1959/1963) vistoriando as obras de calçamento no centro da cidade. Ele reprovava a colocação de paralelepípedos e exigia a reparação do serviço. Era o verdadeiro fiscal das obras. Naquele tempo não havia licitação, instrumento pernicioso que serviu para aumentar o custo das obras e brotar o esquema ilícito ou de má fé criado para obter ganhos pessoais, chamado carinhosamente de fraude. José Azi pechinchava os melhores preços em material, obras e serviços, em nome da prefeitura que representava, na época em que os recursos públicos eram irr