Tag: Geddel Vieira Lima

Ex-assessor diz que contava maços de até R$ 100 mil para Geddel

Ex-assessor diz que contava maços de até R$ 100 mil para Geddel

Política
O ex-assessor de Geddel Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão, confessou à Polícia Federal ter recebido do ex-ministro quantias de R$ 50 mil a R$ 100 mil para a contagem dos valores. Ele está preso por terem sido encontradas suas digitais nas cédulas do bunker de R$ 51 milhões, em Salvador. Job é assessor dos políticos da família há anos e já trabalhou para o pai, Afrisio Vieira Lima, falecido no ano passado, e para os irmãos Geddel e Lúcio. Preso desde 20 de outubro em regime domiciliar, Job teve sua fiança de 100 salários mínimos reduzida pela metade após o ministro relator do caso, Edson Fachin, acolher recurso da defesa. Ele virou alvo da Operação Tesouro Perdido no momento em que a Polícia Federal identificou suas digitais em parte dos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salva
Justiça Federal encaminha ao STF investigação de dinheiro atribuído a Geddel

Justiça Federal encaminha ao STF investigação de dinheiro atribuído a Geddel

Política
O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara de Brasília, decidiu hoje (13) remeter ao Supremo Tribunal Federal (STF) a investigação sobre o montante de R$ 51 milhões apreendidos pela Polícia Federal (PF) em um apartamento em Salvador, atribuído ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. Em sua decisão, o magistrado argumentou que há sinais de provas do envolvimento do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel, e que podem levar ao indiciamento do parlamentar pelo crime de lavagem de dinheiro. De acordo com o magistrado, embora não existam indícios de participação do deputado “nos fatos anteriores à apreensão dos valores, até agora somente vinculados às pessoas de Geddel Vieira e Gustavo Pedreira, o certo é que a partir de agora, diante da existência de sinais de provas cap
PF acha malas com dinheiro em imóvel supostamente usado por Geddel em Salvador

PF acha malas com dinheiro em imóvel supostamente usado por Geddel em Salvador

Bahia, Política, Últimas notícias
Em uma operação para cumprir mandado de busca e apreensão, emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília, a Polícia Federal (PF) encontrou hoje (5) várias caixas e malas com dinheiro em  imóvel na Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça em Salvador, "que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima [ex-ministro] como 'bunker' para armazenagem de dinheiro em espécie”. De acordo com a PF, “os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial”. O apartamento pertence, segundo a Justiça, a Silvio Silveira, que teria cedido o imóvel ao ex-ministro, para que guardasse, “supostamente, pertences do pai, falecido em janeiro de 2016". Uma denúncia anônima, feita por telefone, alertou a polícia de que Geddel estaria utilizando o apartament

MPF denuncia ex-ministro Geddel Vieira Lima por obstrução de Justiça

Política
O Ministério Público Federal (MPF) apresentou hoje (16) uma denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), acusado de obstrução de Justiça por tentar atrapalhar as investigações das operações Cui Bono e Sépsis. Segundo os procuradores responsáveis pelo caso, Geddel atuou para constranger o operador financeiro Lúcio Funaro, que negocia acordo de delação premiada com o MPF, a não colaborar com as investigações. “Seu modo de embaraçar a investigação se deu por meio do contato de Raquel Alberjante Pitta, esposa de Lúcio Funaro, com quem Geddel Quadros Vieira Lima nunca tivera maiores proximidades”, escreveram os procuradores responsáveis pelo caso na denúncia.  Com base em depoimentos da esposa de Funaro, os procuradores escreveram que, por meio de ligações pretensamente amigávei

Bahia não tem tornozeleira eletrônica para prisão domiciliar de Geddel

Bahia, Destaque, Política
A Polícia Federal (PF) informou, em nota enviada no início da tarde de hoje (14), que a Superintendência da Bahia “não dispõe de sistema de monitoramento eletrônico de pessoas”, conhecido como tornozeleira eletrônica. Com isso, a prisão domiciliar do ex-ministro Geddel Vieira Lima não poderá ser monitorada pela Justiça. A nota da PF ainda explica que o equipamento é de atribuição do sistema prisional federal ou do estado. No entanto, o órgão afirma a impossibilidade de cumprir a decisão da 10ª Vara Federal, em Brasília, que determina que, no prazo de 48 horas, a Superintendência da PF forneça a tornozeleira para uso de Geddel. Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (SEAP) informou que “ainda não possui tornozeleiras eletrônicas”. A pasta afirma que
Geddel chora ao ouvir, durante depoimento, que permanece na prisão

Geddel chora ao ouvir, durante depoimento, que permanece na prisão

Política
O ex-ministro Geddel Vieira Lima chorou após ouvir do juiz Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, que irá permanecer encarcerado por tempo indeterminado. Vallisney afirmou que irá analisar o pedido de soltura na próxima semana. Os advogados solicitaram a prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica por Geddel. "Se a vossa excelência quiser colocá-lo em prisão domiciliar sem celular assim como já foi feito, pode ser feito desde agora", argumentou o advogado Gamill Föppel. De acordo com o juiz Vallisney, é necessário periciar o telefone de Geddel e ouvir a esposa do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, Raquel Funaro, que teria trocado mensagens com Geddel.  A defesa de Geddel também questionou por qual motivo a Justiça Federal não teria ouv