Sexta, 19 de Julho de 2024
075 992680030
Geral Feira de Santana-BA

Enfermeira internada por dengue relata medo e insegurança da doença

Apesar de manter os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, a enfermeira Sandrea Costa, que atua na Vigilância Epidemiológic...

03/07/2024 11h28
27
Por: Redação Fonte: Prefeitura de Feira de Santana - BA

Apesar de manter os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, a enfermeira Sandrea Costa, que atua na Vigilância Epidemiológica (Viep) de Feira de Santana, não ficou imune à dengue e chegou até a ficar internada por conta da doença. No município, cerca de 4.700 casos da arbovirose já foram diagnosticados.

Desse total, 710 apresentaram sinais de alarme, assim como o da enfermeira. A profissional relata que entre os sintomas iniciais, dor de cabeça e febre estiveram presentes.

“Tive uma dor de cabeça, pela manhã, muito forte. Usei analgésico e não passou. À tarde comecei a sentir uma febre alta. Com isso, desconfiei que poderia ser dengue. Continuei hidratando, fui até uma unidade de saúde onde receitaram alguns medicamentos para alívio dos sintomas”, explicou.

A enfermeira descreve que no quinta dia a febre cessou e surgiram manchas vermelhas pelo corpo.

“Fiz um hemograma e descobri que minhas plaquetas estavam muito baixas e além disso, a minha gengiva sangrou, o que é um sinal de alarme. Fiquei muito preocupada e senti medo, porque é uma situação em que ficamos fragilizados. Procurei novamente a unidade de emergência, conversei com o médico, expus todos os sinais de alarme que tive e acabei internada por três dias”, comentou.

Sandrea frisou que recebeu a visita de um agente de endemias na residência, mas nenhum foco foi encontrado no local.“Os tanques e reservatórios de água são todos cobertos. Nós tomamos o cuidado de limpar a piscina semanalmente e aplicar o cloro. Na minha casa não fica água parada, não tem vasos de planta que acumulam. Sempre estamos vigilantes e ainda assim, minhas duas filhas também tiveram dengue. A mais velha chegou a manifestar sinais de alarme”, relata.

Como alguém que sentiu na pele a doença, a enfermeira alerta as pessoas que deixam para ir às unidades de saúde somente quando os sintomas pioram. 

“É muito perigoso ficar se automedicando porque você acha que é uma simples enxaqueca e dor no corpo quando, na verdade, pode ser dengue. Diante do cenário que a gente tem, procurar um suporte especializado, se hidratar bem e não ficar tomando anti-inflamatórios por conta própria é essencial”, orienta a enfermeira Sandrea.



Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São Paulo, SP
Atualizado às 05h05
12°
Tempo nublado

Mín. 13° Máx. 22°

12° Sensação
2.57 km/h Vento
89% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (20/07)

Mín. 13° Máx. 22°

Tempo limpo
Amanhã (21/07)

Mín. 12° Máx. 23°

Tempo limpo
Ele1 - Criar site de notícias